segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Às voltas na blogosfera

Descobrimos que Mendo Ramires prolongou o Jantar das Quartas e construiu a Torre de Ramires; que o Tomar Partido, de Jorge Ferreira, (não o administrador do Infocalipo) nos visita e defende muitas posições com as quais concordamos, tal como o O Integralmente Lusitano, que se propõe a "reaportuguesar Portugal".

A Padeira de Aljubarrota e Geração Vendas Novas também passaram por cá e recomenda-se a visita.

Frase da Semana - 9


Quando já não me indignar, terei começado a envelhecer.
André Gide

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Se este fosse um blog sensacionalista...

... colocaríamos um post a dizer que temos poderes sobrenaturais, e que previmos que no jogo Benfica-Liverpoll, Luisão marcaria um golo, pois colocámos uma foto sua a festejar antes do jogo.

... preocupar-nos-íamos mais com o número de visitas que com a vontade de expressar o nosso ponto de vista, sobre vários assuntos e várias matérias e que com a vontade de a nossa opinião ser comentada por quem concorda, ou não, com ela.

... falaríamos do que não conhecemos e do que não sabemos só porque queremos ter público.

... enviaría-mos mails a toda a gente a pedir que nos colocassem como link nos seus blogues.

Mas não é.

E como referiu o Calipolense há pouco tempo, a TVI é a televisão mais vista e nem por sombras é a melhor.

Por isso...

...não fazemos comentários comparando o nosso número de visitas com o número de visitas de outros blogues, evidenciado o tempo de existência de cada um.

... tentamos afirmar-nos pelas nossas ideias e não pelo número de pessoas que nos visitam.


... tentamos ser respeitados enquanto pessoas com opinião válida e não por sermos doutores ou engenheiros, que por acaso também somos, mas não é por isso que os nossos textos valem mais ou menos pois não?

Nem sempre quem é maior, ou tem mais, é melhor e “quem nasceu para lagartixa nunca chega a lagarto” (provérbio chinês). Vistas curtas...

Frase da semana - 8


"Quem nasceu para lagartixa nunca chega a jacaré.”

provérbio chinês

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Ideias e propostas

O Sr. Francisco Chagas visitou o nosso blog e comentou o texto "Dossier Chagas", numa tentativa de esclarecer o assunto que tanto deu de falar. Considerando eu este assunto encerrado, até porque não fomos nós o epicentro da confusão, há algumas ideias que ressalvo.
Relembro que nesse nesse texto, este blog revelou trabalhar para e por Vila Viçosa. O Sr. Chagas, enquanto cidadão calipolense, deixou expressa, nos comentários acima referidos, as seguintes ideias, que tomo a liberdade de trazer para a primeira página, por achar pertinente o debate à sua volta.
ECONOMIA“O EMPREGO – IMPACTO SOCIAL
Para que o impacto possa ser de maior amplitude a minha exposição é abrangente aos Concelhos de Estremoz, Borba e Vila Viçosa. Cuja caracterização dos Concelhos considero semelhante.Considerandos:
1. Necessidade de oferta aos munícipes de assessoria e instrumentos em matéria de desenvolvimento sócio - económico;
2. Necessidade em melhorar as condições empresariais e/ou laborais;
3. Necessidade de colocar em marcha projectos de desenvolvimento económico e social;
4. Necessidade da existência de projectos de desenvolvimento económico e social de carácter municipal e supramunicipal.Propõe-se a criação de:Órgão Coordenador de Desenvolvimento dos Agentes Locais de Promoção e Emprego abrangendo os Concelhos de Estremoz, Borba e Vila Viçosa.Objectivos Gerais:
1. Identificar e dinamizar recursos ociosos;
2. Maior mobilidade de recursos humanos especializados;
3. Acompanhar e assessorar novos empreendedores;
4. Promover, manter e organizar “ninhos” de empresas;
5. Detectar necessidades formativas;
6. Concertar, activar e administrar métodos para melhorar a competitividade das pequenas e médias empresas;
7. Promover itinerários personalizados para melhorar as probabilidades de emprego;
8. Observar e analisar o mercado de trabalho;
9. Identificar, mediante prospecção e diagnóstico sócio - económico no âmbito local e comercial fontes de recursos;
10. Cultivar um pensamento estratégico na planificação a curto e médio prazo;
11. Aplicar técnicas para a evolução de resultados.Metodologias:
• Análise de projectos de criação de empresas;
• Ajuda para a realização de projectos de criação empresarial;
• Promoção de actividades;
• Formação profissional ocupacional;
• Aproveitamento de programas diversos;
• A gestão municipal deve estar vocacionada para incentivar os procedimentos para convites a empresas locais;
• Formação e informação às empresas locais na organização de processos para concursos públicos;
• Obrigatoriedade de clausulado contratual nas adjudicações de contratos públicos para que seja dada prioridade aos subempreiteiros do local;
• Incentivos municipais para a criação de postos de trabalho;
• Protocolos municipais com entidades financiadoras com objectivo de concessão de créditos para criação e viabilidade económica com taxa de juro zero.No caso desta proposta vir a ser considerada, analisada, discutida e criticada, mas desde que por intervenientes devidamente identificados, proponho que o próximo tema seja:
• Aquando das eleições presidenciais todos nós ouvimos dizer pela diversa imprensa internacional que Portugal é o membro de Comunidade mais pobre.TEMA: Até que ponto a política local no concelho de Vila Viçosa, desde 1994 tem contribuído para o avançar/estado desta pobreza.
Francisco Chagas, Vila Viçosa, 2006-01-14

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Hoje é dia de Liga dos Campeões


A Luz, volta a encher-se de sonhos e emoções. Só o Benfica é capaz de mexer tanta paixão.

Desde a primeira hora do dia é ver carros, lojas e pessoas no seu local de trabalho com cachecóis, bandeiras e outros coisas alusivas ao clube.

O Benfica é mesmo mais que um clube, é um estado de alma como me disse um dia Humberto Coelho!

Força Benfica, também tu, nunca caminharás só.

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Blá, blá, blá


Quando nasce um bebé toda a gente diz "É tão lindo! Tem um filho muito bonito." mas são todos iguais! Alguém consegue distinguir quem é quem quando acabam de nascer? Só mesmo pela etiqueta. E quando alguém diz: "Que rapaz tão lindo!" e a mãe responde chateada: "é uma menina...", ou vice-versa.
Enfim, aposto que no dia 16 de Fevereiro de exactamente um quarto de século atrás, a minha mãe ouviu coisas parecidas com esta.
"Today I'm a baby!"

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Frase da semana - 7

As massas são acéfalas e predispostas à irracionalidade, desde que devidamente manipuladas.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Agostinho da Silva


Nasceu há 100 anos um dos mais importantes pensadores do século XX.
Aqui prestamos a nossa homenagem a um VERDADEIRO português.
Agostinho da Silva é dos mais paradoxais pensadores portugueses do séulo XX. O tema mais candente da sua obra foi a cultura de língua portuguesa, num fraternal abraço ao Brasil e aos países lusófonos. Todavia, a questão das filosofias nacionais não é para si decisiva, parecendo-lhe antes uma questão académica: «Não sei se há filosofias nacionais, e não sei se os filósofos, exactamente porque reflectem sobre o geral, se não internacionalizam desde logo».O problema de que parte é a procura de uma razão de ser para Portugal: o que eu quero é que a filosofia que haja por estes lados arranque do povo português, faça que o povo português tenha confiança em si mesmo», entendendo por «povo português» não apenas os portugueses de Portugal, mas também os do Brasil, laçados de índios e negros, os portugueses de África, tribais e pretos, como também os da Índia, de Macau e de Timor.Embarcando num sonho universalista em que os portugueses que vivem apenas para Portugal não têm razão de ser, apresentou-se aos olhos tantas vezes desconcertados dos seus leitores como um cavaleiro do Quinto Império, um reinado do Espírito Santo, respirando um misto de franciscanismo e de joaquimismo e, em todo o caso, obra mais de cigarras que de formigas como era próprio das crianças: «Restaurar a criança em nós, e em nós a coroarmos Imperador, eis aí o primeiro passo para a formação do império», o que é dizer que o primeiro passo dos impérios está sempre no espírito dos homens, aptos para servir, como os antigos templários ou os cavaleiros da Ordem de Cristo.Um império sem clássicos imperadores, que leve aos povos do mundo uma filosofia capaz de abranger a liberdade por que se bate a América, a segurança económica conseguida pela União Soviética, e a renúncia aos bens que depois de ter estado na filosofia de Lao-tsé, diz estar também na de Mao-tsé, mas uma filosofia que as três possam corrigir, purgando a primeira de imperialismos, a segunda da burocracia, e a terceira de catecismos.É esta uma filosofia que, como gostava de dizer, não parte imediatamente de uma reflexão sobre as ciências exactas, como em Descartes ou Leibniz, mas da fé, como em Espinosa. Partir de crenças como ponto vital e tomar como símbolo preferido que a palavra «crer» parece ter a mesma origem que a palavra «coração», fazendo depois como o Infante, abrindo-se à ciência dos seus pilotos, astrónomos e matemáticos. Tudo dito e defendido com a tranquilidade de quem sabe que até hoje ninguém desvendou os mistérios do mundo e conhece por isso os limites das soluções positivas.Assim, seria possível valorizar aquilo que a seu ver nos distinguiria como povo e como cultura: um povo e uma cultura capazes de albergar em si «tranquilamente, variadas contradições impenetráveis, até hoje, ao racionalizar de qualquer pensamento filosófico».Império do futuro precavido e purgado dos males que arruinaram os quatro anteriores, sem manias de mando, ambições de ter e de poder, sem trabalho obrigatório, sem prisões e sem classes sociais, sem crises ideológicas e metafísicas. Esse já não era o império europeu, dessa Europa ávida de saber e de poder, e por isso esgotada como modelo para os outros 80% da humanidade, menos ávida de poder e mais preocupada com o ser.Trazer por isso o mundo à Europa, como outrora levámos a Europa ao mundo, tal a missão da cultura de língua portuguesa, construindo o seu domínio com uma base espiritual e sem base em terra, porque a propriedade escraviza e só não ter nos torna livres.

domingo, fevereiro 12, 2006

WANTED: Dead or... dying

A Al-qaeda Afeganistã oferece 100 kg em ouro a quem matar os cartonistas autores das polémicas figuras de Maomé.
Aquilo que foi considerado uma ofensa à religião islâmica já provocou 11 mortos, bandeiras queimadas e muitas embaixadas e consolados destruídos, mas isto, tal como os homens, mulheres e crianças bombistas, é permito pela religião.
Devemos respeitar a religião e escolhas dos outros qb, mas a falta de tolerância deste povo para com o Ocidente é já representativo suficiente do seu fanatismo e falta de civismo.
Trazer a Túrquia para a Europa é abrir as portas a este mundo.
Como diz aquela velha máxima, " a liberdade de um, acaba onde começa a do outro", é claro que, aos olhos a lei que regula as sociedades ocidentais (até parece que muitas outras só conhecem a lei da bala!), os cartoonistas são livres de desenhar o que quiserem, e se eu não gostar (como não gostei já de tanta coisa publicada) quanto muito chamava uns quantos nomes ao autor e publicava posts infinitos a mal-dizê-lo, mas oferecer 100kg de ouro a quem o matasse? Aqueles povos são riquíssimos mas o dinheiro(ao qual o povo nem lhe sente o cheiro!) , só por si não dá educação, civísmo e sociabilização num mundo diferente e em constante evolução. Eles pararam ou pouco atrás, culpa dos líderes, fanáticos e reflexo da cultura. Veja-se o Iraque, não conseguem viver todos juntos com as suas diferenças e em liberdade.
Enfim, se virem dinamarqueses por aí pensem que atrás deles poderão estar 300 pessoas armadas com paus e pedras.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Lotaria dos penalties


Fomos à lotaria dos penalties e safamo-nos!
Gosto de ver marcar penalties mas não quanto é a minha equipa a jogar; haja coração!
Resumindo: Benfica segue em frente, justamente.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

O Dossier Chagas – episódio 123


Não venho de maneira nenhuma pôr água na fervura nem atiçar o fogo; venho comentar a minha perspectiva do “Dossier Chagas”, algo que não faria em condições normais mas que faço, essencialmente, para deixar clara a minha posição sobre o assunto, uma vez que, enquanto bloger, poderei ter sido visado.

«A mesa do café, a Praça Pública, o canto da Comercial e até mesmo o Mercado Municipal são e têm sido ao longo de velha data locais onde os homens se encontram para falarem dos mais diversos assuntos, chegando mesmo, em muitas localidades, a ser considerado a frente do mercado municipal o local de hábito para se conseguir a jornada diária de trabalho que iria servir para matar a fome aos seus mais queridos.Quero acrescentar, que tais locais foram e são frequentados por pessoas de bem e por homens de H.» Sr. Chagas dixit, e subscrevo com algumas notas:

1.Os mesmos lugares que foram utilizados para discussão e conversa de homens com H, foram também utilizados por muita escumalha de M.

2.Trocaria de bom grado a discussão na Internet pela discussão na praça, no café, ou em qualquer outro sítio da minha vila, mas, por inércia, imcompetência ou incapacidade (todas com i grande e a negrito) de alguns dos homens que por lá pararam e param (e as responsabilidades não são exclusivo dos executivos camarários), não o posso fazer com a regularidade desejável, por isso recorro ao uso da Internet e deste blog.

«Consultado este
(creio que referindo-se ao conterrâneo Restaurador) e outros blogs (não sei se entre eles está o Aljubarrota) a minha definição em nada se alterou. Ou seja, salvo raras excepções, blogs são espaços criados pelas novas tecnologias para que os cobardes se manifestem.Pois se nos locais atrás mencionado os homens discutem as suas ideias, se expuseram na venda do seu suor, dão a cara. Porque é que com o aparecimento destes novos métodos/tecnologias existe a cobardia da não identificação? Certamente algo estará por detrás desta atitude, nem que seja pura e simplesmente a mentira.»

Sei e reconheço, que, infelizmente, muita gente da nossa praça utilizou os blogs como meio de campanha política desregrada.
Através de calúnias, respostas e contra-respostas ofensivas, uso de vocabulário completamente desadequado, entre outros, acredito que haja quem tenha feito por merecer as palavras que o Sr. Chagas proferiu (refiro-me só e somente à blogosfera local).

Mas há algo que não entendi ainda, (expliquem-me como se fosse muito burro!): O que é levou o Sr. Chagas a colocar na Internet os comentários que anteriormente transcrevi?

Se foi o facto de um comunicado, do partido que o Sr. Chagas representa, rodar e ter sido exposto nalguns blogs calipolenses (nalguns provavelmente pela mesma pessoa?), com ou sem autorização, talvez possa compreender alguma amargura, caso contrário…

Com a humildade que me é devida, permitam-me, os blogs que colocaram o referido texto, o seguinte conselho: não coloquem comunicados partidários ipsis verbis de modo a evitar que se criem polémicas como esta e que em nada abonam para a discussão em prol de Vila Viçosa; informar e fazer campanha política são coisas diferentes: uma é (supostamente) neutra, a outra não.

Só uma nota à parte para o companheiro Restaurador, que desde os tempos do Alentejo SA, tem tentado prestar um bom serviço à blogosfera: caro conterrâneo, colocar comunicados partidários e petições electrónicas para a ascensão de Vila Viçosa a património Mundial da UNESCO no mesmo local, são, do meu ponto de vista, incompatíveis, e tal pode descredibilizar o movimento que tentou começar.
Apoio incondicionalmente o encontro de blogs calipolenses que sugeriu e ajudarei no que possível; não crendo parecer presunçoso, creio que devia convidar o Sr. Chagas a assistir.

Mais uma nota negativa para o facto de ter visto o bom-nome de um grande amigo meu e colaborador deste blog, ser utilizado em muitas das conversas à volta deste tema. Pese todos saibamos a credibilidade do “diz que disse”, não gostei de ler!

Reitero novamente, e como sempre a vontade de fazer mais por Vila Viçosa, longe ou perto, o amor à terra é incondicional!

Seja com o Sr. Chagas ou outra pessoa, este blog está disposto a ajudar, sugerir ou fazer, o que for necessário, desde que o resultado seja a favor da vila e nuca em proveito próprio.

Assino com orgulho no nome que tenho e que me foi passado por Homens que muito fizeram e tentam fazer pela nossa terra, discutindo-a, ou não, na praça.

Luís Miguel Quintino Carapinha

Frase da Semana - 6


Semeia um pensamento e colherás um desejo; semeia um desejo e colherás a acção; semeia a acção e colherás um hábito; semeia o hábito e colherás o carácter.

Tihamer Toth

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

POVV 2009/2019

O Aljubarrota(…) foi convidado a fazer parte do movimento Plano de Organização de Vila Viçosa 2009/2019; um desafio lançado pelo nosso JF, que, quanto mais não fosse pela amizade que nos liga, era irrecusável. Desta forma, O Aljubarrota compromete-se a apresentar ideias e propostas para a construção de uma Vila Viçosa Maior.
Maior em tamanho. Maior em qualidade. Maior em orgulho e em honrar o passado glorioso com o seu nome ficou inscrito na história deste nosso país.
Aliás, foi isso que sempre pretendemos ter e fazer: um Portugal melhor e digno da sua história.

Daqui lanço também o convite ao Calípole, pois apesar do projecto não ser meu, pretende-se que seja de e para todos.
Agradeço ainda os elogios hiperbolizados que dirigiu ao nosso blog e o apoio e visitas que nos tem feito.

Agora, mãos-à-obra caros conterrâneos.

Ideias ou sugestões podem ser também enviadas para o mail.

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

"A história à nossa procura"*

e acrescento:
Morreu a pátria e o futuro de Portugal.

*sub-título do Interregno

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Finalmente, o mail!



O Aljubarrota (…) já tem e-mail.
Agora já pode enviar-nos os seus textos ou as suas opiniões para
aljubarrota@sapo.pt (link lateral).

Às voltas na blogosfera


Fomos visitados pelos blogues
Frescos Campos do eborense Frederico Carvalho, também comentador do Geraldo Sem Pavor do amigo LTN e Francisco Figueiras, pelo Lides Alentejanas do Miguel Soares, a quem agradeço o destaque dado à iniciativa por nós proposta do uso do capote alentejano, e pelo meu conterrâneo O Calipole, que surgiu com artigos de qualidade que ganhou o seu espaço na mini-blogosfera calipolense.
Sejam bem-vindos a este blogue.

Os outros amigos e visitantes, em breve poderão encontrar os links para estes blogues na barra lateral.

Analogia Perfeita


Li no meu caro amigo
O Velho da Montanha, acerca do resultado das últimas eleições presidenciais, a seguinte comparação: “Alegre amealhou uma “pipa” de votos (e de “massa”), apresentando-se como um candidato contra os partidos, um candidato independente e passou a campanha inteira a atacar o aparelhismo partidário, qual D. Quixote galopando contra os moinhos de vento.”
Imaginem melhor comparação… não dá, a figura de Manuel Alegre encaixa na perfeição o personagem principal dessa grande obra de Cervantes; uma vez que já sabemos quem ficou com o melão, resta saber quem terá sido o Sancho Pança...

Frase da Semana - 5


Livros não mudam o mundo. Quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.

Mário Quintana